terça-feira, 19 de junho de 2007

Chico Buarque - 63 anos!!


"Parceiro de euforias e desventuras, amigo de todos os segundos, generosidade sistemática, silêncios eloqüentes, palavras cirúrgicas, humor afiado, serenas firmezas, traquinas, as notas na polpa dos dedos, o verbo vadiando na ponta da língua - tudo à flor do coração, em carne viva... Cavalo de sambistas, alquimistas, menestréis, mundanas, olhos roucos, suspiros nômades, a alma à deriva, Chico Buarque não existe, é uma ficção - saibam.Inventado porque necessário, vital, sem o qual o Brasil seria mais pobre, estaria mais vazio, sem semana, sem tijolo, sem desenho, sem construção."
Ruy Guerra, cineasta e escritor, outubro de 1998




Chico Buarque faz hoje 63 anos e eu, como admirador deste poeta/escritor maior, não poderia deixar passar data tão especial. Pensei em escrever algo à altura do grande mestre, mas Ruy Guerra fez isso de forma impecável; pensei em publicar um poema ou conto em sua homenagem, mas, depois do Seu Francisco, o que escrever? Prefiro reproduzir uma letra do próprio, a marca na marca. Mais detalhes para quem quiser: http://chicobuarque.uol.com.br/construcao/index.html


Trocando em miúdos
(Francis Hime - Chico Buarque/1978)

Eu vou lhe deixar a medida do Bonfim
Não me valeu
Mas fico com o disco do Pixinguinha, sim ?
O resto é seu
Trocando em miúdos, pode guardar
As sobras de tudo que chamam lar
As sombras de tudo que fomos nós
As marcas de amor nos nossos lençóis
As nossas melhores lembranças


Aquela esperança de tudo se ajeitar
Pode esquecer
Aquela aliança, você pode empenhar
Ou derreter
Mas devo dizer que não vou lhe dar
O enorme prazer de me ver chorar
Nem vou lhe cobrar pelo seu estrago
Meu peito tão dilacerado


Aliás
Aceite uma ajuda do seu futuro amor
Pro aluguel
Devolva o Neruda que você me tomou
E nunca leu
Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, muita saudade
E a leve impressão de que já vou tarde





2 comentários:

Jens disse...

Seu Francisco é o cara.
Agora, deixa eu me exibir um pouco: tive o prazer de comer uma paleteada de ovelha com ele no dia 31 de março - data do aniversário da "Gloriosa" - na casa do Carlos Simon, o árbitro (meu amado chefe). Gente boa. Bebe vinho chileno e fuma Hilton.
Abração.

sandra camurça disse...

Ai que eu amo o Chico! E essa música...nossa, nem me fale. Parabéns Chico!
Outro beijo.