segunda-feira, 4 de junho de 2007

Blog da Carol

Chacal foi lá e pegou na mão grande (daí eu conheci também - obrigado Chacal) e postou no seu Cep 20 000. Eu também peguei na mão grande, que poema assim a gente pega e posta logo: é o medo dele escorrer pelas mãos profanas e virarem chuva.
O fato é que dois deles estão aí. Pertencem ao blog da Carolina (http://carolinaluisa.zip.net/) e merecem uma olhada tímida, depois atenciosa, depois devoradora.
Apreciem sem moderação.
________________________________________________________

Beba no meu copo
coma no meu prato
Deixe seu cheiro
nas minhas coisas
Leia meus livros
Olhe nos meus olhos
e minta,sinceramente,
que me ama...


________________________________________________________

Encaixo-te entre minhas pernas
para guardar-te
receber-te no meu corpo
pegar sua febre
sugar sua saliva
como quem bebe licor
do mais doce
do mais suave
veneno vital

Faz de mim sua (na)morada.

2 comentários:

das flores disse...

Olá Professor,
tem hora que as máquinas me tiram a tão estimada paciência ao ponto de querer quebrá-las, mas aí respiro fundo, dou um tempo, e tento novamente.
Tentei comentar sobre o Inspiração e não consegui, vamos ver se esse vai.
Tem uns textos que fico numa falta de jeito de formular frases completas para comentá-los, que apenas palavras soltas bastam, é o caso desse, Inspiração.
Só posso escrever que ele mexe e bate fundo.

Sobre os poemas da Carol,
poesia, poesia, poesia, o que seria de nós sem essa coisa que nos brota da profundezas...
só com poesia...

Amor
Somente as carteiras e o quadro foram testemunhas da pressa, da ansiedade momentânea de presentear
Por detrás duma máscara copiada fiz blocos
A face foi fácil
Empilhar os tijolos, também.
Trabalhoso foi o preparo da massa que os uniu.

parabéns e abraço

Vais disse...

Olá de novo,
tive um 'pequeno probleminha' de entendimento no cadastro, e eu lá sabia o que era página inicial? rs...
das flores sou eu
inté