sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Professor Halem se despede, infelizmente

28 de Novembro de 2008


.
"Da vez primeira em que me assassinaram
Perdi um jeito de sorrir que eu tinha
Depois, de cada vez que que me mataram,
Foram levando qualquer coisa minha"
Mario Quintana

.


Devia ter feito isso meses atrás, mas a minha pusilanimidade e um certo comodismo mental adiaram a decisão. Fato é que este Ração das Letras morre hoje, em definitivo. Verdade que já estava moribundo; dou-lhe agora, contudo, a extrema-unção. Eu, que nunca fui alegre, perdi até o contentamento de escrever aqui sobre Literatura, essa dimensão da vida humana que sempre me resgatou e redimiu. Agradeço aos visitantes e blogueiros de minha estima pelas vezes em que tentamos nos compreender através da palavra escrita; não os esquecerei. Deixo a blogosfera porque a desprezível e abjeta vida que tenho fora dela ameaça invadir o espaço virtual. Peço perdão aos que perderam seu tempo lendo as bobagens que freqüentemente impingi ao leitor eventual, neste blog medíocre e limitado, não obstante pretensioso. Talvez só merecesse permanecer por essas bandas se fosse para manter um site que atacasse a ganância escandalosa das instituições bancárias ou relatasse o descaso em que vivem os profissionais da educação. Mas quem está interessado em ler isso?

.


.
E assim, sem muitas delongas, um grande blogue se despede. O professor Halem, vulgo Quelemém, era parada obrigatória para os que apreciam uma boa conversa sobre a boa literatura e suas reflexões.
Pena.

3 comentários:

CRIS disse...

Muita pena sim, Marcelo. Ele também fazia parte da "turma do Roy" lá do Reação Cultural, projeto que eu adorava participar.

beijão.

Renato Couto disse...

Calo também,
No silêncio da surpresa
O que motiva a decisão?
Tristeza?
Tristeza...
Tristeza.
Esperamos sua volta, penso eu:
Se um ler tá bom.

Roy Frenkiel disse...

Estou na mesma que voce. Odeio quando ele se menospreza e eh tao importante pra todos nos.

abraxao

RF