domingo, 9 de novembro de 2008

Arritmia

acordei com gosto de desejo na boca. quero escrever uma carta de amor. sempre quis escrever carta de amor. nunca consegui. ontem fez um puta calor nas terras de minas. meu carro não tem ar condicionado. o suor descia lentamente no mínimo vão entre gesso e perna. enlouqueci. quero uma varinha de condão. não consigo me desprender das minhas vergonhas. dizer eu te amo sai fácil. impossível escrever que a ausência faz mal. o céu fica cada vez mais escuro. quando eu era menina escondia os sentimentos. esqueci onde. agora eu sinto e eles ficam no esconderijo. o gosto de desejo é latente. ainda. e uma coisa quente insiste em fazer caminho por dentro da minha pele. nunca gostei dos donos do mundo. conceito formado lá nos idos 70. hoje gosto de saber que o povo americano vê além do marrom. estou perdida na frente da tela. que engraçado. ela entra com escudo do tricolor e sai com a carinha de contraste. pra escrever preciso começar. que ridículo dizer meu amor e colocar uma vírgula. porque o resto é só passado. antes eu só me despedia de amor que não mais doía. obama ganhou. o momento é histórico. as árvores do alabama devem estar sorrindo. desejo de cheiro. desejo de gosto. desejo de não desejar. parei no acostamento sem saber o que fazer com a coceira. aqui só ensaia aguaceiro e tudo continua quente. os campos de batata foram trocados por cebola. folhas esparramavam-se em cama verde. agora são esbeltas adagas que apontam pro céu. vou engolir a vontade de carta de amor. não. ainda vou publicar. ridícula. bem ridícula. antes vou lavar a vergonha da cara. se chover.

.

4 comentários:

Jacinta Dantas disse...

Ei Marcelo,
que legal encontrar esse texto aqui no seu cantinho. Já o conhecia, e agora, fazendo a releitura, só posso dizer que você faz uma ótima escolha. A Loba é excepecional no que escreve.
Parabéns pelo seu olhar.
Um abraço

Loba disse...

Marcelo, que grata surpresa!
Além de muito feliz, me sinto privilegiada por ter um texto escolhido por alguém como vc, viu?
Gratíssima! Muito mesmo.
Beijo grande.

Jens disse...

Bela escolha, Marcelo. A Loba é sempre uma leitura inteligente.

Georgia disse...

Ah, mas este texto da Loba é demais!!!
Eu tb fiquei com um certo sabor na boca...

Abracos