quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Noblesse oblige


Esta me pegou de surpresa... Estava lendo a recente postagem do professor Halem (Quelemém) e... veio a pancada: a Toca do Jens vai acabar!
Porra, como alguém como o Jens pode sair da blogosfera assim? Não pode. Uma porrada de filhos-da-puta escrevendo besteiras (como eu) na internet e, aquilo que é bom, de repente, vai pro limbo, pro éter, deixando-nos um pouco mais tristes, órfãos.
Pena... realmente lamentável...
Estava disposto a escrever algum conto ou falar das eleições petistas, mas perdi a vontade.
Esta é a postagem que achei lá na Toca:
.

Noblesse oblige

Foi Drummond quem escreveu que chega uma hora em que todos os bares se fecham?
Isto, na verdade, não importa. É apenas um artifício para começar um texto difícil. O que quero dizer é que este estabelecimento vai fechar suas portas. Definitivamente. Não só isso, eu também não vou mais vagar pelas ondas da web escrevendo gracinhas aqui e ali (cá entre nós, nem tão engraçadas assim).
As razões que me levam a tanto são de ordem pessoal (não tem nada a ver com saúde ou a falta da mesma. Eu e o velho Hal estamos bem).
Bem, é isto. Um dia, quem sabe, eu volto.
Foi bom estar com todos. Mais do que isto, foi um privilégio. Vocês tornaram a minha vida melhor.
Beijos, garotas. Abraços, rapazes. Adeus a todos.

4 comentários:

Vais disse...

Professor,
que foda, né mesmo?
quem sabe sob 'pressão' (da melhor qualidade), ele não larga mão dessa idéia.
abração Marcelo

Halem Souza (Quelemém) disse...

Marcelo, achei surpreendente mesmo, mas fazer o quê? Vai fazer falta, mas isso quem decide é o próprio "combatente". Um abraço.

sandra camurça disse...

Marcelo, Jens foi meu segundo leitor fiel, o primeiro foi Moacy Cirne. Isso já tem mais de um ano. Dá pra imaginar então a minha tristeza, não? Mas tou com Vais, sob pressão ele volta, ah se volta! Tenho certeza. Vamo lá encher o blogue dele de "volta! volta! volta!"

Um beijo e um abraço.

Jens disse...

Pô Marcelo.
Que legal, cara. Muito obrigado pela consideração.
A pressão deu certo: voltei. Não tem sentido abandonar algo que nos faz bem.
***
Um grande abraço.