segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

(Antiga…)

Um poema da Bia é sempre um poema. Um rascunho da Bia é um poema. Uma anotação das compras, um lembrete para o dentista é um poema. A bia é poesia. Por isso, só anda por um triz. No triz e na trilha do que é bom. Nossos olhos agradecem.

A Bia é facilmente "caminhada" aqui:


.



Eu

.
Olhares


Faces

Sorrisos

Facetas

Língua

Boca

Buceta

Poros

Nós

Bocas

Dentes

Línguas

Trava-línguas

Gengivas

Pedras

Água, sal

Falo, falos, conversas, teclados, visores, ouvidos-sem-tímpanos, palavras, pá-lavras, idéias, sementes, projetos, fuga, não-dito, mal-dito, ditados, deitados, silêncios, calados, cálidos, sozinhos, caminhos, buracos, frio, solidão, joguinhos, textículos, machados, flores-sem-papel, promessas, vírgulas, pontes

.
Você

3 comentários:

Jens disse...

Boa, a Bia.

Acantha disse...

Também gostei da apresentação, MARCELO!

Vais disse...

Olá Professor,
viajante, a sequência de acontecimentos, as imagens.
gostei bastante
Brigada pelo carinho do último comentário no canto, super bacana sua interpretação.
abração