quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Beatriz e suas lindas sensações





Extraído delicadamente do blog de uma grande escritora: Beatriz. Tais produções são sinônimo de beleza. Seu sítio? simples:

O primeiro trabalho se chama Carta aberta, o segundo texto, Terceira caixa.

Boa leitura e sensações!


Carta Aberta

Fernando,
Queria dizer que as passagens, abertas, ficaram mais claras, baratas e sem perigo - mas de avião não voa mais o meu pensamento.As nuvens, por sua vez, abrem espaço nas bocas e nos cigarros, que continuam acesos, queimando neurônios e iluminando idéias.E as noites? Sem garoas e cheias de frios silenciosos na madrugada, de uma ausência que se cala, logo ao raiar do dia… Você sabe: São Paulo desdenha o vazio.

E eu aqui, meu mui caro amigo, desenho ainda o futuro nosso, seja em Poa, seja dançando tango. Seja, ainda, escrevendo, mais e mais, os espaços-entre.

No vão das coisas, caminho bem. E o meu espaço, estou aprendendo a cultivar no cimento, no asfalto.Grito alto, de saudade e possibilidades. Quem sabe um dia a gente se reveja. Quem sabe um dia o Brasil seja menos-continente-mais-país. Quem sabe um dia a carta seja finalmente entregue. Em mãos.

Muitos beijos, com sol de fim-de-tarde.

Terceira Caixa

Por vezes, rasgava a pele, como se - mais vermelha - peregrinasse por sentidos desconhecidos.


“É preciso um caos interior para se parir uma estrela dançarina”, já dizia Nietzsche. E dançando era como se sentia quando lhe faltava o chão.


Trasvezes, era ele quem se fechava ao mundo, ignorava a órbita dos olhos, ignorava as meninas alheias. Ignorava, mesmo, era haver outras pupilas a perceber que, debaixo daquela carne macia de seu rosto, o sangue era mais quente a despeito do frio, da fome, a despeito de tudo o que lhe pudesse tocar.Ignorava, mas não por despeito. Por doçura.


(lágrima à noite é pimenta nos olhos, que arde e faz chorar.fecha córneas para luz do dia paridopartido ao meio pela divisão das horas)


Me faz um carinho? ela pediu. Mas se esqueceu de deitar para receber.Você cuida de mim? ele perguntou.
e deixaram a porta do quarto aberta


até amanhã

6 comentários:

Beatriz Galvão disse...

Marcelo querido,

Te respondi lá, no Por um Triz!
Mas sempre te sinto mais aqui. Saudade de me molhar neste torrencial vez em sempre.
E obrigada pelas palavras, querido.

Como eu já disse: você é sempre de casa.
Vai mais uma xícara de café?

Muitos beijos!
Bia

Moacy Cirne disse...

Meu caro, é bom aparecer aqui para ler os seus textos. E, claro, vou visitar, agora mesmo, o blolgue da Beatriz. Um abraço.

Fernanda Passos disse...

Muito bom Marcelo.
Vou conhecer o lugar da Beatriz tb.
Abraços.

sandra camurça disse...

Gostei muito, Marcelo. Beatriz, "Por um triz", legal o nome do blogue! E o blogue também.
Um beijo.

Fernanda Passos disse...

Uma boa semana meu caro.
Abraços.

Jens disse...

Marcelo:
Mais uma grata revelação nas ondas da web. Valeu. Vou lá visitar o blogue.