terça-feira, 17 de julho de 2007

As vaias e o bico

O que há de errado em se receber, enquanto político, vaias orquestradas ou não? Existe algum escudo protetor que preserve os políticos de tal “afronta”? O país anda tão perfeito e o seu povo tão satisfeito assim?

Evelyne Furtado (http://evelynefurtado.blogspot.com/), em seu blog escreve algo pouco vislumbrado por todos:

Alguns leitores (...) diziam que os apupos vinham de uma classe privilegiada (...).
Pelo amor de Deus, será que essas pessoas não estão vendo que as vaias a Lula são uma prova da força da democracia pela qual ele e tantos outros lutaram?Não acho bonito vaiar, mas respeito essa demonstração pacífica de desapreço da população, seja de que classe social for.

Esta colocação é perfeita. Antes de mais nada, a vaia é um instrumento democrático que custou a vida de muitos brasileiros, é preciso que ao menos seja respeitado o direito, mínimo que seja, de quem quiser se manifestar dessa forma. Acredito que o momento não era para tanto, mas a expressão livre não precisa de momento. Ela é por si só.

Duas coisas me incomodam bastante. Primeira: por que, assim como o presidente Lula, o prefeito da cidade também não foi vaiado? Estaria ele impune dos problemas que assolam a sociedade brasileira? Teria ele mais a ver com a classe social que lá estava nas arquibancadas prestigiando a abertura dos jogos? Segunda: por que o presidente da república não abriu os jogos? Vaias o incomodam? Será que o cargo de presidente deixou de ser laico e estaria ele, Lula, achando-se próximo das divindades várias? Entendi o constrangimento e a mágoa, continuo não entendendo a sua atitude.

Se tudo for um complô para derrubar o nosso querido presidente, como muitos apregoam, então devem ser forjadas todas as notícias de estupro aos cofres públicos e tráfico de influências. Será que o irmão ingênuo e vários companheiros do comandante desta nação só conheciam os ricos honestos ou tinham (têm) contatos íntimos demais com ricos que não podiam e não podem declarar ao imposto de renda ou a qualquer órgão idôneo quanto ganham sem fabricar frias notas de bois e fazendas enormes de falcatruas?

Não vou aqui entrar no mérito das vaias serem ou não prejudiciais à imagem do país ou se elas foram reverberadas em momento pouco propício. As vaias, assim como os aplausos, fazem parte do esporte e da política, representados fielmente pela construção monumental do Maracanã e pela figura do presidente, portanto, nada a comentar sobre isso. Se foi orquestrado ou não, mediocridade de quem armou e vergonha de quem executou. Manifestações espontâneas são compreensíveis, politicagem armada em festas desse tipo é pilantragem, e pilantras não ganham o meu voto.

7 comentários:

Jens disse...

Tudo bem, Marcelo, concordo que vaiar é uma manifestação democrática legítima. Mas vaiar o Lula, o Sérgio Cabral e aplaudir o César Maia?
Não sabia que o alcaide do DEM tinha tão entusiástica aprovação do eleitor carioca...
Hummm... sei não, sei não...
(Não somos pelêgos, mas também não cheiramos a jasmim. Beijamos na cicatriz).
Um abraço.

Halem Souza (Quelemém) disse...

Marcelo, como eu disse no blog do Jens, esse assunto da vaia já me encheu o saco. Uma grande bobagem, a coisa mais comum do mundo (político ser vaiado em estádio esportivo, com orquestração ou não) e gerou todo esse auê na grande imprensa... Além, é claro, da atitude infantil do Lula, de não abrir os Jogos e, parece, não disposto a encerrá-los.

Com políticos dessa estatura e com a Política (com P maiúsculo) se detendo sobre repercussão de vaias, dá vontade é de ser um total alienado. Um grande abraço.

Marcelo F. Carvalho disse...

Jens, concordo plenamente. Aliás, ótimo texto o seu referente ao tema.

Halem, é verdade, a imprensa fez muito barulho sobre o tema e não era para tanto. Também acho que o pior disso tudo foi o Lula não abrir os jogos por causa das vaias. O representante da nação precisa estar acima das vaias.
______________
Abraço forte!

Evelyne Furtado disse...

Que honra ser citada por você, Marcelo! Obrigada!
Abraços.

Marcelo F. Carvalho disse...

Honra é poder deitar os olhos em textos lúcidos como os seus.
Abraço forte!

Fernanda Passos disse...

É o Lula deveria ter ido, sem dúvidas.
Mas o César Maia é um cretino! E dos piores.

Marcelo F. Carvalho disse...

Faço minhas as suas palavras...hehehe
Abraço forte!