segunda-feira, 25 de abril de 2011

O mar, a música e a porcaria

Afastou-se da porcaria que era o seu marido, juntou umas poucas peças de roupa que realmente prestavam, empacotou alguns discos que ela achava imprescindível para começar uma vida: Joni Mitchell, Petti Smith, Clapton, Coltrane, Stanley Jordan. Claro, era uma melancólica e contempladora, gostava de vodca vagabunda e baseado, mas em matéria de uísque, só aceitava os de 12 anos. Ouvia, sempre ao chegar do trabalho, música na penumbra do apartamento, com aquele mar batendo em ritmos jazzísticos. Aí ele chegava e acabava com tudo, com o jazz arenoso e salgado, com o uísque cowboy e a música, sempre no contraponto das tragadas de cigarro. Afastou-se da porcaria porque não aguentava mais aquele cheiro de perfume que não tinha na penteadeira, nem no banheiro; não aguentava o jantar de negócios que terminava às duas da manhã todas as terças e quintas, nem as vísceras do domingo com a família dele e todo aquele papo furado do “eu te amo” antes do sexo mensal e muquirana que não a deixava gozar. Planejou com cuidado o aluguel de um flat, telefonou para o filho que morava em São Paulo, desperdiçou outras “n” ligações para amigos e colegas de trabalho, colocou na mensagem do facebook o novo endereço e gastou todo o batom no espelho da penteadeira. Afastou-se da porcaria antes dele chegar à casa e ler o que ela havia escrito: “Vai tomar no cu você e a sua puta!”

8 comentários:

Loba disse...

o tema por si só já puxa comentario. mas eu sempre me encanto é com o seu estilo. em cada período vc abre um cenário. e ficam varios cenários e um mundo de sentimentos em poucas e bem colocadas palavras.
isso dá um puta prazer de ler!
beijo

Jens disse...

O grito de independência de uma deusa. Bonito e vigoroso quadro traçado em rápidas e incisivas pinceladas (no caso, palavras). Muito bom.

Abração,Marcelo.

Jens disse...

PS: tasquei lá no meu facebook.

sandra camurça disse...

Nada mais encantador que um homem falando de certa condição feminina. Ainda que amargo, um texto forte, muito bom, como sempre.
Beijão

Roy Frenkiel disse...

O, deusas poderosas, to sem deusa e sem puta.

abrax

RF

Vais disse...

Sabe, Marcelo,
fiquei pensando que se os relacionamentos, dos piores, acabassem deste jeito, com um “Vai tomar no cu você e a sua puta!”, mas em muitos casos é cortando no tiro ou numa faca.
Bom mesmo.
grande abraço, Professor
e vou levar qualquer hora o Mário Cortella

Luma Rosa disse...

Nossa!! Que susto!! :=))
Imagino o susto do fedido! Oooops, porco! er porcaria...

Renato Couto disse...

Bom pra caralho !