quinta-feira, 18 de setembro de 2008



Imagens


.


Você escuta a respeito do tumulto.


Lá fora, o sol morre uma vez mais:


É inverno.


Enquanto uns cobrem-se


com seus fartos cobertores,


noutros, as notícias andam pelos corpos,


caixas que um dia contiveram caixas,


sustentam sob as marquises, carnes.


Não mande fulano comer grama


chamando-o sutilmente de animal,


pois você pasta


e se pensar bem,


seu pasto não é tão farto assim.


.




5 comentários:

Vais disse...

Olá Professor,
Bem expressiva a imagem.
é moço, tamos aqui novamente.

tim tim Marcelo, já tinha reparado na foto, mas o monitor aqui tá com um pequeno probleminha de configuração, é soda!

abraço forte e saúde pra ti e as tuas, os teus

Loba disse...

Esta moça é porreta mesmo! Como sempre, ótima escolha sua.
Beijo professor.

sandra camurça disse...

Marcelo, esse poema da Vais é excelente!
beijos.

adelaide amorim disse...

Muito bom, Marcelo. Diz o que a gente sente, e com que força!
Beijos, um bom final de semana.

Jens disse...

Vais dispensa comentários. Menina porreta!