terça-feira, 15 de abril de 2008

Terra Vermelha

Como a Vais nunca me deixa esquecer o que é importante, posto a solidariedade necessária por Carajás. Esta letra de música, tocada por uma banda que nunca existiu, nasceu em 1997, influenciada pelas fotos de Carajás e pelo livro "Terra". Aliás, de lá para cá, o que mudou?
Abraço forte a todos!

Terra Vermelha
.
Pense um pouco nas crianças
Nos rostos ásperos
Nos olhos perdidos
Nas suas mãos e pernas
E dentes imundos
.
Ouça um pouco os homens
Os calos, os gritos
O trabalho diário
De uma luta sem fim
Sem colheita ou promessas
Destino ou certeza
.
Saia um pouco desse
Mundinho que hoje habita
Desça do palco
Que fizeram para você
.
Olhe ao seu redor
Perceba a imensa escuridão
Em torno do fértil
.
Deixe um pouco de lado
Seu sonho-utopia
Sua namoradinha
Seu amor mal-traçado
E presta atenção
Nas terras inúteis
As fazendas de mato
.
Pense e ouça e saia
E deixe os seus olhos trilharem
As fotos de Carajás
Ou mesmo Rondônia
Dos Pedros, Franciscos
Maria ou Antônia
.
Olhe ao seu redor
E entre!

7 comentários:

sandra camurça disse...

Belo, Marcelo, belo.

Beijos.

osátiro disse...

Poema excelente.
apoio para continuar a poesia.

adelaide amorim disse...

Palavras fortes, Marcelo, as desse poema engajado. Há muito não ouvia essa palavra, muito em uso nos meus tempos de faculdade.
Beijo pra você.

Moacy Cirne disse...

Uma ótima letra, meu caro. Abraços.

Vais disse...

Querido Professor,
muito muito bonito
'Olhe ao seu redor
Perceba a imensa escuridão
Em torno do fértil'
Estas palavras são de uma verdade que não se contesta, e isto se tornou ainda mais forte em mim, depois da maternidade, pois o que os donos do phoder, do mercado, a insanidade perversa da usurpação fazem com as crianças, é inadmissível.
abraço forte Marcelo.

Jens disse...

Ô Marcelo:
Duca, meu amigo. Muito bom. Justa e dura indignação.
Um abraço.

Jens disse...

Oi Marcelo.
Passa lá no Refúgio da Sandrix e dá uma força.