segunda-feira, 2 de março de 2009

A chuva

Olhou para o alto e recebeu os primeiros pingos com uma certa nostalgia. Tempos atrás, comum era tomar banho de chuva em uma tarde de verão, jogando bola ou dançando R.E.M., Smiths. Ultimamente andava acima da média nostálgica que costuma ter. Talvez o excesso de álcool, o casamento ruído, a falta de filhos após vinte anos de união, a falta de dinheiro. Olhou para o alto como se estivesse esperando algo que só pudesse alcançar no ópio religioso e infalível. Nada. Apenas a certeza implacável de que da vida só levamos a vida... E a sua mala estava vazia. Given to Fly, do Pearl Jam, estava no volume máximo, a chuva aniquilava-o. Encharcado de tudo, inclusive de desesperança, optou por alçar mais um voo. O projeto era simples: pediria dinheiro ao agiota, gastaria tudo num puteiro e, mais tarde, capa de jornal: Assassinado com Requintes de Crueldade! Pelo menos dessa vez seria o ator/autor da festa. Olhou para o alto e deixou outras gotas de outros rios e vidas, outros choros e outras vadiagens comandarem o brilho em seu rosto. Horas mais tarde, ao sair de casa, era um outro semblante estampado naquela face cadavérica e infame, mesmo sem fazer a barba, percebia-se, quilômetros de distância, o novo homem. Marcado com o agiota, perfumado, livre, caminhou em direção ao ponto do ônibus. Na impossibilidade de ter um chapéu Panamá, sem chapéu algum marchou para a esquina. Foi nesse instante que o carona da moto pulou sobre ele: “- Perdeu, maluco!, Passa tudo!”. Mas passar o quê? O dinheiro o estava esperando, mas não agora, não ali! Não conseguiu pronunciar nada mais sólido do que um: “...filho-da-puta...”. Foi executado sem dificuldades na esquina de casa, rua Elísio, nº 669. Dia seguinte, sua foto estava nos jornais populares. Famoso por um dia, mas sem comer ninguém.

5 comentários:

Loba disse...

Putz! Sem comer ninguém foi triste, triste! rs...
Que conto delicioso de ler professor. Frases como esta "Olhou para o alto e deixou outras gotas de outros rios e vidas, outros choros e outras vadiagens comandarem o brilho em seu rosto" dão um brilho especial a qq texto. E vc tem várias de grande beleza!
Bom ler um texto assim, viu?
Beijo!

adelaide amorim disse...

Menino bom :)
Tou deixando um selinho pra você lá no Umbigo, topa?
Beijo.

BirdBardo Blogger disse...

Que burro poderia ter comido ao alguém...Nem sabe aproveitar seu último dia!

Jens disse...

Genial, Marcelo! Lembrei das histórias curtas do grande Antonio Maria. Gostei pra caralho (dá pra usar caralho neste contexto sem parecer ofensivo, né?).
Um abraço.

Cris disse...

Oi, Marcelo,

Pobre vítima da sorte.Gosto de textos assim : conciso, veloz. No ritmo de hoje, quando ninguém realmente come ninguém...

Beijão, lindo.